Últimas Notícias

“Petiscar à la Bohemia” está de volta a Braga

De 6 a 29 de agosto, a Associação Empresarial de Braga, em parceria com a Central de Cervejas, organiza a 3ª edição do Roteiro Petiscar à La Bohemia. Uma iniciativa que junta 22 estabelecimentos de Braga que casam os seus petiscos com as cervejas da gama Bohemia: Puro Malte, Pilsener, Original e Bock. Os menus de cada estabelecimento são compostos por um petisco e uma cerveja que têm o custo de 3,50 euros. Esta ação visa promover e dinamizar o setor da restauração, as suas especialidades e associá-las a uma cerveja com alma gastronómica como é a BOHEMIA. Esta cerveja foi criada para acompanhar o melhor da comida portuguesa e fazer excelentes combinações gastronómicas. Aliado à iniciativa há, ainda, um concurso para quem partilha a experiência nas redes sociais (facebook e instagram) com a hashtag #petiscaralabohemia. Conheça, abaixo, os prémios a concurso: 1º Prémio: 2 noites para 2 pessoas com pequeno-almoço no Grande Hotel Luso 2 Prémio: 5 six pack + 12 copos + 1 bandeja + 1 descapsulador 3 Prémio: 24 cervejas (6 de cada variedade) Convidamos, ainda, os consumidores a elegerem o seu petisco preferido deste roteiro, sendo distinguido com o diploma “Melhor petisco – escolha dos consumidores” o estabelecimento com mais votos. A lista completa dos menus dos estabelecimentos aderentes, bem como o regulamento do concurso, estão disponíveis no portal Taste Braga. Estabelecimentos aderentes: aTípica – Oficina de Sabores Rissóis de Leitão ou Chamuças de frango com legumes e molho de mostarda Bohemia Original Terça a sábado 17:00 – 22:30 BLB – Bifanaria Pratinho de moelas Bohemia Original Segunda a sábado | 11:00 – 22:00 Porta Nova Café Mini francesinha Bohemia Original Segunda a Sábado | 16:00 -21:30 Café Vianna Sandes de vitela com pickles de cenoura Bohemia Bock Segunda a Domingo | 12:00 – 22:00 Café-Concerto Rum by Mavy Mini cachorrinho com molho de francesinha Bohemia Original Segunda a sexta | 12:00 – 21:00 Sábado e Domingo | 14:00 – 21:00 Caldo Entornado Crocante de alheira Bohemia Original Segunda a Sábado | 18:00 – 20:00 Encerra às quartas-feiras Daqui – Sabores Genuínos Mini hambúrger Daqui Bohemia Original Segunda a domingo | 18:00 – 21:00 Diana Restaurant Croquete de alheira à Diana Bohemia Pilsener Segunda a sexta | 19:00 às 22:00 El Olivo – Meliã Braga Bifana de leitão e laranja Bohemia Bock Segunda a domingo | 16:00 – 22:00 Frigideiras da Sé Frigideira Bohemia Original Segunda a sábado | 8:00 – 20:00 Sexta e domingo | 8:00 – 22:30 Intimista Steakhouse Vol-au-vent de alheira de caça Bohemia Puro Malte Segunda a quinta | 12:00 – 15:00 | 19:00 – 22:00 Sexta | 12:00 – 15:00 Kianda Restaurante Croquetes de feijão de óleo de palma Bohemia Original Terça a quinta | 12:30-14:00 – 19:00-22:30 Sexta e sábado | 12:30-14:00 Méze – Brunch, Cocktails, Coffee Nachos com chilli de carne, queijo cheddar, guacamole argentino, molho de iogurte e jalapenos Puro Malte Segunda a domingo | 15:00 – 20:00 Moscada Food & Lifestyle Tosta de Presunto Bohemia Original Terça a domingo | 14:30 – 18:30 O Arco Café Moelas à Arco Bohemia Puro Malte Segunda a Sábado | 16:00 -22:00 Padaria e Pastelaria Glorinha Tapa de chouriço e pão de alho Bohemia Original Segunda a domingo | 13:00 – 20:00 Pastelaria Bom Jesus Bolinhos de bacalhau Bohemia Pilsener Segunda a domingo | 15:00 – 20:00 Pátio da Sé Tosta de frango Bohemia Bock Segunda a domingo | 13:00 – 22:30 Picoto Park Coxinhas de frango Bohemia Original Terça a domingo | 10:00 – 20:00 Porta Nova Collection House Croquete da Porta Nova com salada coleslaw Bohemia Original Terça a sábado | 12:30 -14:30 | 19:30 – 22:00 Terminal Café Pulled Pork à Terminal Bohemia Puro Malte Segunda a Sábado | 12:00 – 16h00 | 18h00 – 22:00 Time To – Food, Drinks & … Pãozinho Recheado Bohemia Original Segunda a sexta | 12:00 – 15:00 | 18:30 – 20:00 Sábado | 18:30 – 20:00

Medidas aplicáveis ao estado de calamidade a partir de 1 de agosto

Foi publicada a Resolução do Conselho de Ministros n.º 101-A/2021, de 30-7, que altera as medidas aplicáveis em situação de calamidade, no âmbito da pandemia da doença COVID-19. Aplica-se a todo o território nacional continental. A partir de dia 1 de Agosto o teletrabalho passa a ser recomendado sempre que as atividades o permitam, a limitação à circulação na via pública a partir das 23h deixa de existir, terminam os limites aos horários de abertura e passam a vigorar novas regras em matéria de horários de encerramento. Os espetáculos desportivos passam a admitir público de acordo com as orientações da Direção-Geral da Saúde. Os bares passam a poder estar em funcionamento desde que sujeitos às regras aplicáveis aos estabelecimentos de restauração e similares, não podendo ter espaços de dança. Se os relatórios o permitirem e 70% da população se encontrar com vacinação completa, prevê-se que seja possível o levantamento da obrigatoriedade do uso de máscara em espaços públicos, podendo passar a permitir-se, designadamente, a abertura de lojas de cidadão sem necessidade de marcação prévia, o aumento da lotação dos restaurantes, cafés e pastelarias, o aumento da ocupação máxima dos estabelecimentos e equipamentos e o aumento da  lotação em determinados eventos. Por fim, se a avaliação da situação epidemiológica e se 85% da população se encontrar com vacinação completa, pode passar a permitir-se, designadamente, que os bares e discotecas abram desde que o acesso aos mesmos se faça com Certificado Digital COVID da UE ou teste com resultado negativo. Nesta mesma fase deixam também de existir limites à lotação em estabelecimentos, equipamentos e determinados eventos.   I – Medidas gerais Confinamento obrigatório Ficam em confinamento obrigatório, em estabelecimento de saúde, no domicílio ou, não sendo aí possível, noutro local definido pelas autoridades competentes: a) Os doentes com COVID-19 e os infetados com SARS-CoV-2; b) Os cidadãos relativamente a quem a autoridade de saúde ou outros profissionais de saúde tenham determinado a vigilância ativa.   Uso de máscaras ou viseiras É obrigatório o uso de máscaras ou viseiras para o acesso ou permanência em locais de trabalho que mantenham a respetiva atividade sempre que o distanciamento físico recomendado pelas autoridades de saúde se mostre impraticável. Esta obrigação não é aplicável aos trabalhadores quando estejam a prestar o seu trabalho em gabinete, sala ou equivalente que não tenha outros ocupantes ou quando sejam utilizadas barreiras físicas impermeáveis de separação e proteção entre trabalhadores.   Controlo de temperatura corporal I. Nos casos em que se mantenha a respetiva atividade, podem ser realizadas medições de temperatura corporal por meios não invasivos, no controlo de acesso ao local de trabalho, a serviços ou instituições públicas, a estabelecimentos educativos, de ensino e de formação profissional, a espaços comerciais, culturais ou desportivos, a meios de transporte, a estabelecimentos de saúde, a estabelecimentos prisionais ou a centros educativos, bem como em estruturas residenciais. II. Podem também ser sujeitos à realização de testes de diagnóstico de SARS-CoV-2, de acordo com as normas e orientações da Direção-Geral da Saúde (DGS): a) Os trabalhadores, utentes e visitantes de estabelecimentos de prestação de cuidados de saúde; b) Os trabalhadores, estudantes e visitantes dos estabelecimentos de educação, de ensino e formação profissional e das instituições de ensino superior; c) Os trabalhadores, utentes e visitantes de comunidades terapêuticas e comunidades de inserção social, bem como dos centros de acolhimento temporário e centros de alojamento de emergência, de estruturas residenciais para idosos, unidades de cuidados continuados integrados da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados e de outras estruturas e respostas dedicadas a pessoas idosas, a crianças, jovens e pessoas com deficiência, bem como a requerentes e beneficiários de proteção internacional e a acolhimento de vítimas de violência doméstica e de tráfico de seres humanos; d) No âmbito dos serviços prisionais e dos centros educativos:   i) Os reclusos nos estabelecimentos prisionais e os jovens internados em centros educativos; ii) Quem pretenda visitar as pessoas referidas na alínea anterior; iii) Os trabalhadores do Corpo da Guarda Prisional e os demais trabalhadores da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), no exercício das suas funções e por causa delas, para efeitos de acesso e permanência no local de trabalho; iv) Os trabalhadores do Corpo da Guarda Prisional, sempre que, no exercício das suas funções e por causa delas, acedam a outros locais ou neles permaneçam a propósito do transporte e guarda de reclusos, designadamente em unidades de saúde e tribunais; v) Os prestadores de serviços e utentes de instalações afetas à atividade da DGRSP, sempre que nelas pretendam entrar ou permanecer; e) Os trabalhadores que desempenham funções em serviços públicos; f) Os trabalhadores afetos a explorações agrícolas e do sector da construção; g) Os trabalhadores que, independentemente do vínculo laboral, da modalidade ou da natureza da relação jurídica, prestem atividade em locais de trabalho com 150 ou mais trabalhadores.   III. Nos casos em que o resultado dos testes impossibilite o acesso de um trabalhador ao respetivo local de trabalho, considera-se a falta justificada. IV. Deve ainda ser sujeito à realização de testes de diagnóstico de SARS-CoV-2, de acordo com as normas e orientações da DGS, quem pretenda assistir ou participar em eventos de natureza cultural, desportiva, corporativa ou familiar, designadamente casamentos e batizados, sempre que o número de participantes exceda o definido pela DGS para efeitos de testagem de participantes em eventos, devendo os organizadores do evento solicitar e verificar o cumprimento das novas regras. O acesso aos locais mencionados pode ser impedido sempre que: a) Não seja apresentado o Certificado Digital COVID da UE; b) Exista recusa na realização de teste; c) Não seja apresentado comprovativo de resultado negativo de teste laboratorial para despiste do SARS-CoV-2, realizado nos termos das orientações específicas da DGS; d) Se verifique um resultado positivo no teste realizado. V. Em matéria de certificado ou teste, é aceite: a) A apresentação de Certificado Digital COVID da UE admitido nos termos do Decreto-Lei n.º 54-A/2021, de 25-6, sendo equivalente à apresentação de teste com resultado negativo; b) Em matéria de testagem: i) […]

AEB abre inscrições para mais de 80 estudantes

A AEB – Associação Empresarial de Braga tem inscrições abertas para estudantes com o 9.º ano interessados em completar o ensino secundário através dos cursos de aprendizagem. O objetivo é acolher no próximo ano letivo mais de 80 novos alunos para os cursos de mecatrónica automóvel, informática, cozinha/pastelaria e restaurante/bar. Os cursos de aprendizagem são um percurso formativo de ensino secundário que prepara os jovens para uma mais fácil e qualificada inserção no mercado de trabalho, permitindo-lhes ao mesmo tempo o acesso a estudos superiores. Com uma duração de cerca de dois anos e meio, os cursos de aprendizagem realizam-se em regime de alternância, o que significa que parte da formação decorre na entidade formadora e outra parte em contexto de trabalho, em empresas indicadas pela AEB. O IEFP é a entidade gestora e promotora dos cursos de aprendizagem em Portugal, cabendo às entidades formadoras externas acreditadas a nível regional, como a AEB, desenvolver os cursos a iniciar até 15 de outubro de 2021. Ao longo do curso, os jovens que frequentam os cursos de aprendizagem recebem mensalmente apoios sociais e uma bolsa de profissionalização. Questionado sobre a importância desta oferta formativa para o tecido empresarial da região, o Diretor Geral da AEB, Rui Marques, referiu que este reforço da habitual oferta anual de cursos de aprendizagem da AEB é uma excelente oportunidade para formar jovens qualificados em áreas de elevada prioridade para as empresas e economia da região, permitindo ajudar a colmatar as atuais lacunas entre a oferta e a procura de profissionais qualificados. O mesmo responsável da AEB, destacou ainda: – o elevado nível de empregabilidade dos alunos dos cursos de aprendizagem; – a forte componente prática dos cursos em regime de alternância; – a notoriedade e prestígio alcançado pela AEB na formação de jovens, profissionais e empresários; – a experiência empresarial e mérito da equipa de formadores e tutores da AEB; e, – as excelentes condições de formação proporcionadas aos alunos. Numa economia em permanente mudança, fortemente marcada por avanços tecnológicos e maiores exigências ao nível do desempenho profissional, é essencial preparar técnicos qualificados que respondam às necessidades das empresas. Esta constatação e desígnio justificam a aposta da AEB em cursos técnicos em áreas chave para o desenvolvimento da economia regional, como são as atividades económicas e profissões ligadas aos setores da reparação automóvel, das tecnologias de comunicação e informação, da hotelaria, restauração e serviços similares. Os interessados podem fazer a sua inscrição através do email formacao@aebraga.pt ou do telefone 253 201 750.

Conselho de Ministros de 29 de julho de 2021

No Conselho de Ministros de 29 de julho foram aprovados vários diplomas, sendo de salientar os seguintes: Resolução que prorroga a situação de calamidade em todo o território nacional continental até às 23:59 h do dia 31 de agosto de 2021 e altera as medidas aplicáveis. O diploma, entra em vigor a 1 de agosto de 2021, estabelece um novo regime de desconfinamento igual em todo o território continental, define novas fases no âmbito da estratégia gradual de levantamento de medidas de combate à pandemia da doença COVID-19, e passa a considerar vários fatores, incluindo a percentagem de população com vacinação completa.   As fases previstas são 3 fases:   Fase 1 – mais de 50% da população com vacinação completa (1 de agosto) eliminam-se as limitações à circulação na via pública a partir das 23h; mantêm-se as regras atuais referentes a medidas sanitárias e de saúde pública (designadamente as relativas ao confinamento obrigatório, ao uso de máscaras ou viseiras, ao controlo da temperatura corporal e à realização de testes), bem como as medidas aplicáveis em matéria de tráfego aéreo, aeroportos e fronteiras terrestres, marítimas e fluviais; os espetáculos culturais em recintos de natureza fixa passam a ter uma lotação de 66% da respetiva capacidade; reabrem-se a generalidade das instalações, estabelecimentos e equipamentos que estavam encerrados, com exceção das discotecas, salões de dança ou de festa ou outros locais ou instalações semelhantes, e dos desfiles e festas populares ou manifestações folclóricas ou outras de qualquer natureza; os bares e outros estabelecimentos de bebidas sem espetáculo, com sujeição às regras estabelecidas para o setor da restauração e similares, desde que observem as regras e orientações em vigor e as especificamente elaboradas pela Direção-Geral da Saúde; o teletrabalho passa a ser recomendado em todo o território nacional, sempre que as funções em causa o permitam; os estabelecimentos de restauração e similares ou os equipamentos culturais e desportivos passam a funcionar de acordo com o horário do respetivo licenciamento, com o limite das 02h, ficando excluído o acesso ao público para novas admissões a partir da 01h; no que respeita ao número de pessoas por mesa nos restaurantes, passa a aplicar-se em todo o território nacional continental a regra do máximo de 6 pessoas por mesa no interior ou 10 pessoas nas esplanadas; passam a ser aplicáveis em todo o território nacional as regras que vigoravam nos municípios de risco elevado e muito elevado relativamente à testagem ou apresentação de certificado Digital Covid para efeitos de serviço de refeições no interior dos estabelecimentos de restauração, aos sábados, domingos e feriados, bem como às sextas-feiras a partir das 19:00h; para o acesso a estabelecimentos de jogos de fortuna ou azar, casinos, bingos ou similares e a termas, spas ou estabelecimentos afins aplicam-se as regras previstas para o acesso aos estabelecimentos turísticos ou de alojamento local (apresentação, pelos clientes de Certificado Digital COVID ou de um teste com resultado negativo); no que respeita à atividade física, passa a ser permitida em todo o território nacional continental a prática de atividade física ao ar livre e em ginásios e academias, sendo que para a realização de aulas de grupo passa a ser necessária a apresentação de Certificado Digital COVID ou de um teste com resultado negativo.   Fase 2: Mais de 70% da população com vacinação completa   Restaurantes, cafés e pastelarias passam ter limite máximo de oito pessoas por grupo no interior e 15 pessoas por grupo em esplanadas; Lojas de cidadão sem marcação prévia; Espetáculos culturais em recintos de natureza fixa com 75% de lotação; Transportes públicos sem lotação; Eventos familiares (nomeadamente casamentos e batizados) passam a ter limite máximo de 75% da lotação.   Fase 3: Mais de 85% da população com vacinação completa   Restaurantes, cafés e pastelarias sem limite máximo de pessoas por grupo, quer no interior quer em esplanadas; Estabelecimentos e equipamentos sem limites de lotação; Espetáculos culturais sem limites de lotação; Eventos familiares (nomeadamente casamentos e batizados) deixam de ter limites de lotação; Bares e discotecas reabrem atividade habitual mediante apresentação de Certificado Digital COVID da UE ou de um teste com resultado negativo.   Foi aprovado o decreto-lei que prolonga o Apoio à Retoma Progressiva, enquanto existirem restrições associadas à pandemia. Assim, as empresas que enfrentem: quebras de faturação iguais ou superiores a 25% poderão continuar a aceder a este instrumento até à normalização da situação pandémica no nosso país; quebras de faturação iguais ou superiores a 75% poderão continuar a reduzir o período normal de trabalho (PNT) até 100%. Essa redução de 100% está disponível para a totalidade dos trabalhadores caso as empresas se enquadrem nos setores da bares, discotecas, parques recreativos e fornecimento ou montagem de eventos.   Para as empresas dos restantes setores de atividade, a redução de 100% do PNT continua a estar limitada a 75% dos trabalhadores. Estas empresas devem manter os estabelecimentos abertos. Adicionalmente, as empresas que acederem a este instrumento passam a estar impedidas de proceder a despedimentos no prazo de 90 dias após a cessação do apoio (atualmente, essa proibição vigora durante 60 dias).   Esta prorrogação tem como objetivos o reforço do horizonte de confiança e previsibilidade para as empresas, o estímulo à abertura das atividades económicas e o alargamento do horizonte de proteção dos postos de trabalho.   Legislação Lei n.º 50/2021, Série I de 2021-07-30 Prorroga as moratórias bancárias, alterando o Decreto-Lei n.º 10-J/2020, de 26 de março. A execução das medidas estabelecidas por esta lei fica, no entanto, sujeita à reativação do enquadramento regulatório e de supervisão estabelecido pelas Orientações EBA/GL/2020/02 da Autoridade Bancária Europeia, de 2 de abril de 2020.   Portaria n.º 166/2021, Série I de 2021-07-30 Apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade em empresas em situação de crise empresarial   (_O conceito de empregador passa a abranger os setores de bares, discotecas, parques recreativos e fornecimento ou montagem de eventos, para efeitos do disposto nos limites máximos de redução do período normal de trabalho ao abrigo deste apoio extraordinário. Produz efeitos […]

Ser Associado

Faça parte da nossa associação.

Agenda

Opinião

Formação

Multimédia